Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

> busca avançada

Professora da Unifesp apresenta pesquisa realizada no Porto de Lisboa

Professora Maria de Fatima Queiroz

Próximo Seminário de Pesquisa acontece segunda, 16

Por ACS/ Alexandra Rinaldi - Fotos: Alexandra Rinaldi em 11/10/2017

A Pesquisadora e Professora Associada do Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva da Unifesp-Santos, Maria de Fatima Ferreira Queiroz apresentou na segunda, 9, o tema de sua pesquisa de Pós-Doutorado em "História Global do Trabalho e dos Conflitos Sociais" do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa.

A palestrante convidada para participar da disciplina Seminário de Pesquisa I do Mestrado Stricto Sensu “Trabalho, Saúde e Ambiente” da Fundacentro, destacou em sua apresentação o tema “Trabalho e saúde dos trabalhadores portuários de Lisboa: estudo comparativo com o Porto de Santos-Brasil”.

Antes de iniciar a palestra, Fátima contou sobre sua motivação para a realização do Pós-Doutorado. De um projeto de pesquisa no Porto de Santos que teve inicio em 2010, posteriormente em 2011, momento em que a professora estendeu seu olhar para além do Porto de Santos, até a data de realização do Pós-Doc em 2015, no Porto de Lisboa, o principal fator que levou a pesquisadora a se aprofundar no tema foi compreender o adoecimento dos estivadores.

No estudo comparativo, a pesquisadora utilizou a abordagem qualitativa que tem como base a observação da realização do trabalho real, entrevistas semiestruturadas e na abordagem quantitativa, questionário sobre organização do trabalho, avaliação da sensação de fadiga, avaliação dos distúrbios osteomusculares e avaliação dos acidentes do trabalho.

Para a realização da pesquisa no Porto de Lisboa, Fátima conta que teve o apoio fundamental dos Sindicatos, pois lá diferentemente do Brasil, todos os estivadores são sindicalizados. A pesquisadora coloca que a “sindicalização é uma das premissas para que haja a construção com os trabalhadores”.

Algumas características entre o Porto de Santos e o Porto de Lisboa foram destacadas durante a palestra e que servirão como base para pesquisa comparativa futura.

Uma delas se refere a historia do Brasil, onde os estivadores vêm de uma cultura escravagista, enquanto em Portugal, a profissão de estivador é ocupada pelo próprio nativo Português.

Outro dado apontado pela pesquisadora foi que em Portugal não há a existência da Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT), pois todos os acidentes são comunicados ao sindicato e que a luta sindical é bem mais firme nas terras portuguesas do que aqui no Brasil.

Além desses aspectos, há diferenças também entre o nível de escolaridade entre os estivadores de Santos e Lisboa. Nesse quesito, os de Santos lideram na busca por aperfeiçoamento e formação acadêmica.

Em linhas gerais, ao comparar as formas do adoecimento por fadiga nos portos de Santos e Lisboa, Fátima observa que há um aspecto positivo entre os estivadores que está associado ao orgulho pela profissão e a realização da atividade a céu aberto, com vistas para o mar, agregando felicidade ao trabalho.

No final de sua apresentação, Fátima deixou uma mensagem aos alunos do Mestrado reforçando a importância da observação para a validação da pesquisa e defendeu o Mestrado Profissional: “Vejo o Mestrado Profissional de um lado muito positivo, pois por meio dele é possível realizar uma pesquisa que atenda diretamente a sociedade”.

Sobre o tema Porto de Santos, a Pesquisadora, em parceria com Rosana Machin e Marcia Thereza Couto são autoras do livro “Saúde e trabalho em tempos de modernização” publicado em 2015 pela Editora Unifesp.

O livro oferece uma visão interdisciplinar que associa diferentes olhares sobre a modernização do Porto de Santos e suas consequências para a saúde dos trabalhadores.

A disciplina Seminário de Pesquisa I é coordenada por Carlos Sérgio da Silva.

Acompanhe as datas das próximas palestras.

No dia 16 de outubro, o tema “Monitoramento da exposição à sobrecarga térmica nas atividades a céu aberto” será apresentado pelo pesquisador da Fundacentro de Campinas, Álvaro César Ruas.

No dia 23 de outubro, o tema "Avaliação da exposição ocupacional à agentes químicos usando ferramentas de modelagem", a ser apresentado por Cláudio Campos de Abreu, Engenheiro de Petróleo da USP e Mestrando em Trabalho, Saúde e Ambiente pela Fundacentro.

E para encerrar o Seminário de Pesquisa, a ex-aluna do Mestrado da Fundacentro e funcionária da Abiquim, Camila Hubner Barcellos Devicentis, apresenta no dia 30 de outubro, o tema “Aplicação do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos: análise do conteúdo de ficha de dados de segurança”.

Objetivo

Os Seminários de Pesquisa tem como objetivo proporcionar consistente formação científica sobre trabalho, saúde e ambiente, além de capacitar e atualizar profissionais de nível superior, propiciando uma consistente formação científica com foco em segurança e saúde do trabalhador.

Quando

Todas as segundas-feiras, das 10h30 às 12h30, nas salas 7 e 8 no andar térreo da Fundacentro em São Paulo.

Inscrições

A inscrição é gratuita. Mais informações poderão ser obtidas no Serviço de Eventos da Fundacentro, pelos telefones: (11) 3066.6323/6116 ou por email: sev@fundacentro.gov.br.

Os interessados deverão preencher a ficha de inscrição que está disponível no site da Fundacentro, em Eventos/Calendário.

Compartilhar:

Recomendar Notícia

Recomendar Notícia

É obrigatório o preenchimento dos campos com *

Dados remetente

Dados destinatario

Máximo de 1500 caracteres. Quantidade de caracteres digitados:

Confirmação dos dados - Recomendar essa Notícia

Dados confirmação
Recomendar para outro destinatário

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.